Aluno de Medicina da UniFAI apresenta trabalho científico no Congresso Brasileiro de Nutrologia

Acompanhado pelo médico dermatologista e docente Filipe Fornari, o estudante do 2º ano de Medicina do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI) Rafael Ponteli participou, de 28 a 30 de setembro, do XXI Congresso Brasileiro de Nutrologia, organizado pela Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo.

“Este é o segundo ano consecutivo que trazemos os alunos da UniFAI e é o segundo ano que os nossos trabalhos são aceitos e publicados no International Journal of Nutrology, que é uma revista internacional de grande importância na área de Nutrologia, da Medicina Esportiva e da Nutrição. Grandes nomes da Nutrologia do Brasil inteiro participam desse congresso”, opinou Fornari.

O trabalho científico que representou a UniFAI no evento foi elaborado por Fornari e Ponteli. “O trabalho consiste na avaliação de mais de 70 alunos da própria UniFAI em uma pesquisa que envolve o recordatório alimentar das últimas 24 horas, se [o entrevistado] já fez uso de antidepressivos, quantas vezes pratica atividades físicas, quais são os hábitos de vida desses alunos, quantas horas de sono, aferimos a pressão e, com base nos resultados, escrevemos esse trabalho falando sobre a ansiedade e o estresse desses alunos e como isso reflete na alimentação deles”, detalhou Ponteli.

O Congresso

Organizado pela Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), o evento é consagrado como referência entre os especialistas de todo o Brasil, e tem como principal objetivo a atualização científica com a participação dos principais especialistas nesta área, que muito contribuirão para enriquecer os conhecimentos.

Na edição de 2015, por exemplo, o Congresso com a presença de 3.482 participantes, sendo 88% médicos de diversas especialidades.

“Esperamos que, nos próximos anos, os alunos continuem fazendo publicações e trabalhos científicos, o que é muito importante não somente para a área acadêmica, mas para o currículo e o próprio conhecimento do aluno”, concluiu o médico Filipe Fornari.

Assessoria de Imprensa